Sobre o reajuste do salário dos vereadores de São Paulo

Publicamos abaixo a Declaração da Corrente O Trabalho do PT, da cidade de São Paulo, sobre a votação, na câmara dos vereadores da capital paulista, que reajustou os salários dos vereadores.

Carta O TRABALHO

Dia 21/12/16 foi a voto na Câmara de Vereadores de SP o reajuste para os vereadores, para valer a partir de 1o. de janeiro de 2017. Segundo a proposta votada, o salário dos vereadores passa dos atuais R$ 15 mil para R$ 18 mil.

E chamou a atenção – e gerou indignação – foi a bancada do PT votar fechada na questão.

A mesma Câmara que nega reajuste aos servidores municipais, concedendo 0,01% de aumento salarial; a mesma Câmara que nega colocar no orçamento o atendimento de reivindicações legitimas do povo, como saúde, educação e moradia, aprova esse aumento para si mesma.

Também chama a atenção a aprovação do Orçamento 2017 por amplíssima maioria, o que demonstra um acordo entre o atual e futuro governo.

No momento em que nacionalmente são questionadas as instituições podres: o Congresso de picaretas que avança na destruição da saúde e educação e ameaça direitos (destruição da Previdência) e o STF que busca se alçar como um poder acima dos outros poderes, seria um bom momento para o PT demonstrar que não compactua com essa política. A proposta de uma Constituinte pelas reformas populares, começando pela reforma política é uma saída política para a nação.

São em episódios como estes que aparece a adaptação do PT -aquele que nasceu para combatê-las, a serviço da luta dos trabalhadores – às instituições e a todo tipo de acordo . É necessário aprender com os erros e fazer o balanço de mais este equívoco político.

Não concordamos com essa medida e lamentamos a posição da vereadora Juliana Cardoso, cuja candidatura apoiamos, pois esse voto significa se confundir com aqueles que fazem do parlamento seu meio de vida. E jogar na confusão, num momento em que o PT e todos os seus mandatos, devem estar à serviço da defesa dos direitos, da nação e não da adaptação às instituições.

Acima de tudo é necessário romper com essa política de conciliação, é necessário reconstruir o PT e colocar em primeiro lugar as necessidades da classe trabalhadora, do povo oprimido de nossa cidade.

Por isso, esta questão deve ser discutida inclusive no processo de eleições internas do PT, num verdadeiro e necessário debate, para que nossos partido dê um basta a essa conciliação com interesses opostos ao de nossa base social. Romper essa conciliação é afirmar nossa bandeira e abrir o caminho para superarmos a adaptação a essas instituições e acordos e retome o caminho da independência política para os trabalhadores e trabalhadoras.

Corrente O Trabalho do PT, seção brasileira da 4ª Internacional
São Paulo, 22 de dezembro de 2016

2 comentários sobre “Sobre o reajuste do salário dos vereadores de São Paulo

  1. I PT com estes profissionais do voto deixou de ser um partido dos trabalhadores. Envergonha a nós que empunhamos a bandeira do partido como se fosse uma espada na década de 80. O partido deveria expulsar estes oportunistas, NADA FIZERAM PELA DILMA. Devem ir para o PSDB OU PMDB. A CARA DELES.

    Curtir

  2. Compras, quero deixar aqui não só a minha posição como a de muitos, não concordo que esse episódio, em uma situação que passamos hoje no país, porém também discordo de alguns pontos colocado aqui nesse documento, sentimos e lamentamos a posição dá companheira Juliana, mas como presidente do DZ Jabaquara, convocarei uma reunião para que possamos debater mais profundamente o assunto.
    Sem mais.
    Carlos Costa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s