Em MG, prisão de Luísa Hanune é denunciada durante coletiva de imprensa

O deputado estadual Betão (PT-MG) organizou uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (10), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, para expor a campanha internacional pela liberdade de Luísa Hanune, secretária-geral do Partido dos Trabalhadores da Argélia que está presa injustamente desde o último dia 9 de maio pelo regime argelino.

Semanalmente, desde fevereiro deste ano, o povo argelino ocupa as ruas para protestar contra o presidente, que pretende estender seu governo para um 5º mandato – está no poder desde 1990. Cerca de 20 milhões de pessoas exigem o fim do regime e a convocação de novas eleições. Nesse contexto, Luísa Hanune foi intimada a prestar depoimento como testemunha em um processo envolvendo membros do governo e acabou detida injustamente.

Luísa é uma importante liderança do PT da Argélia. Foi militante da Organização Socialista dos Trabalhadores, deputada na Assembleia Nacional por 4 mandatos e a primeira mulher a ser candidata a presidente naquele país.

“A prisão de Luísa é política e acontece em um momento em que a Argélia vive um processo de ‘convulsão social’. Hoje milhares de pessoas saem às ruas toda sexta-feira”, afirmou Betão.

O deputado também denunciou o viés político da prisão de Luísa e comparou com a condenação do ex-presidente Lula. “Assim como foi mostrado pelo (site) The Intercept, a prisão de Lula foi uma prisão política, claramente feita para que ele fosse impedido de disputar as eleições de 2018. Na Argélia a prisão de Luísa também tem o intuito de privar o povo argelino de uma de suas principais lideranças populares. As duas causas se irmanam e por isso é necessário que nos mobilizemos nessa campanha internacional para a libertação da companheira argelina”, declarou.

Markus Sokol, da executiva nacional do PT, afirmou que a prisão de Luísa “é claramente uma prisão política dentro de um contexto de mobilização da população contra o atual regime”. De acordo com Sokol, “a Argélia não possui um governo legítimo, uma vez que o último mandato de Abdelaziz já se encerrou e novas eleições não foram realizadas nem estão convocadas”.

“É uma sensação de incerteza muito grande. Isso nos faz renovar as preocupações com relação ao desdobramento, em especial para as pessoas detidas. Por isso a campanha pela liberdade de Hanune é uma causa urgente”, comentou.

Sokol também relacionou as prisões de Luísa, na Argélia, e de Lula, no Brasil, mencionando uma carta de solidariedade a ela assinada por Lula. “Entre os povos não há fronteiras e nem as grades podem separar as pessoas que têm uma luta determinada pela causa popular. Com esse gesto, o presidente Lula mostrou mais uma vez sua grandeza”, disse.

Cida de Jesus, presidente do PT de Minas Gerais, afirmou durante a coletiva de imprensa que o PT “tem o dever incondicional de entrar na luta pela libertação de Luísa, assim como lutar incessantemente pela liberdade de Lula”.

“A prisão de um e de outro tem tudo a ver com o que passamos agora e eu sinto que a nossa democracia está em risco, por isso o PT tem como tarefa estar presente e convocar a todos e todas luta pela liberdade dos povos”, afirmou.

Campanha internacional pela libertação

O Acordo Internacional dos Trabalhadores e Povos (ACIT) convocou para o próximo dia 20 uma Jornada Internacional com ações nas embaixadas argelinas. O objetivo é entregar todos os abaixo-assinados reivindicando a imediata liberdade de Luísa. Na mesma data, advogados de defesa de Hanune irão apresentar novo recurso para sua libertação.

Países como Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, México, Peru, Portugal e Suécia têm atividades confirmadas. E militantes em 40 países coletam assinaturas que serão entregues nas embaixadas argelinas. No Brasil, a manifestação irá ocorrer em frente à embaixada da Argélia em Brasília, mas em função do feriado de Corpus Christi, será no dia 19.

O deputado Betão apresentou moção pela libertação de Luísa na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Os 10 deputados da bancada petista assinaram o documento, além de deputados de outros partidos. Novas moções exigindo a libertação de Luísa Hanune podem ser enviadas para a Central Única dos Trabalhadores através do email julioturra@cut.org.br.

Cadu Bazilevski

*com informações e fotos do Mandato do Deputado Estadual Betão Cupolillo

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: