DAP denuncia “decreto da morte” do governador de Mato Grosso

DAP denuncia “decreto da morte” do governador de Mato Grosso. Em carta aberta, o Diálogo e Ação Petista de Mato Grosso denuncia o governador Mauro Mendes que, no dia 25 de março, baixou um decreto permitindo que diversos setores não essenciais funcionem normalmente.

Militantes de várias cidades de Mato Grosso assinam a carta, que identifica a política de Mendes à de Bolsonaro. Mesmo em quarentena, os militantes do DAP intervêm ativamente na situação política.

Abaixo, trechos da carta:

“O decreto 425/2020 de 25 de março do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, dando permissão a diversos setores que não são essenciais para funcionarem, é na verdade um “decreto da morte”. Mauro Mendes está sendo irresponsável ao minimizar a propagação do coronavirus e não obedecer às recomendações de autoridades médicas e científicas em nome dos interesses de setores econômicos que ele representa.

Nosso Estado destina sete bilhões de reais ao ano de renúncias e incentivos fiscais aos mais ricos, sendo que esses recursos poderiam ser destinados ao povo. Em primeiro lugar, para reduzir as mortes, é preciso o isolamento social, como é indicado pela OMS.

Em segundo lugar, necessário se faz revogar a lei estadual do teto de gastos para se investir muito mais em saúde, sem fazer nenhuma política de redução de salários e renda.

Reforçamos a posição da Central Única dos Trabalhadores (CUT): ‘Reivindicamos a suspensão imediata de todas as atividades que não forem essenciais e a ampliação das atividades à distância’. (…)

Nós, do Diálogo e Ação Petista, nos comprometemos a unir esforços com os demais companheiros e companheiras do PT no combate a essa política assassina dos governos Mauro Mendes e Bolsonaro, para defender os direitos e as garantias dos trabalhadores e das trabalhadoras, que começam com o direito à vida – o que está claro, é incompatível com a continuidade da política anti-povo de Bolsonaro e de seu seguidor em Mato Grosso, o governo Mauro Mendes.”

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: