Esquenta do DAP e a convenção da capital paulista

No dia 12 de setembro, antes da abertura da Convenção do PT em SP, o DAP organizou uma reunião virtual de ‘esquenta’ para organizar a nossa presença no Ato da conveção do partido. O “esquenta” contou com mais de 80 participantes, entre eles apoiadores das pré-candidaturas a vereador de Lili, Garry Delarus e Rapper Pirata. A reunião foi animada pela presença de Markus Sokol, do Comitê Nacional do DAP e da Executiva Nacional do PT. Veja algumas das falas no esquenta e na convenção.

Garry Delarus

Garry, em sua fala, afirmou que “2020 é o ano do PT vencer em SP, para eleger Jilmar Tatto, para defender os trabalhadores, pois quem defende o povo é o PT. Temos de falar com todos, também com aqueles que votaram no Bolsonaro, para ganhar em SP e mudar a cidade”.

Lili

Lili destacou que “as propostas da ampliação dos serviços públicos só podem ser levadas pelo PT e pelo nossos candidatos. Está associada ao voto no PT, no Jilmar Tatto, e à minha candidatura. Hoje estive no CEU de Taipas, que o Covas que privatizar – que não é diferente das propostas da Marta, do Russomano e outros. Quem pode enfrentar o problema da privatização, reverter isso tudo e defender a ampliação dos serviços públicos são os candidatos do PT, o Jilmar. E eu tenho este compromisso e estou engajando a minha candidatura nesta luta”.

Pirata

O rapper Pirata, candidato da bancada do Hip Hop, que também esteve na reunião, disse “as pautas do DAP são as nossas pautas. Temos de discutir o racismo, batalhar contra o verdadeiro genocídio da juventude negra e focar nossos projetos na periferia da cidade, que é de onde a gente vem”.

Markus Sokol

Sokol fez uma reflexão sobre a situação do país, destacando elementos de urgência: “temos uma greve de correios, talvez a mais longa que essa categoria já fez, e atrás dela esta a ameaça que vira caso sejam derrotados, de quebrar a CEF, liquidar o BB e a Petrobrás. Então tem muita coisa em jogo na solidariedade a esses companheiros. O segundo elemento de urgência na situação é a disparada do preço dos alimentos, arroz, feijão, óleo de soja. Estamos assistindo a volta do começo dos anos 90, a inflação do pobre, que não aparece nos índices, mas a gente vê na mesa, acentuando ainda mais a desigualdade. Que se soma à pandemia. E uma pressão de volta às aulas sem condições mínimas, pelo menos a testagem, para que não seja um fator de contaminação dos professores, das familias e dos alunos. Num cenário onde o auxilio emergencial foi cortado pela metade e vai acabar em dezembro. No mundo onde a Volkswagen está fazendo uma proposta de demissão de 5.000, esse é o mundo real. Esta ruim e não vai melhorar a não ser com a ação do PT na situação. Por isso queria introduzir a fala do Lula no 7 de setembro,que fez uma defesa da soberania nacional como incontornável. Explicou como as perseguições ao PT e a ele mesmo tem a ingerência dos Estados Unidos. Recusou qualquer acordo por cima. Lançou a ideia pelo fim desse desgoverno, que nós do DAP já defendemos desde o Congresso. Apesar disso gostaria de que o Lula tivesse chamado a solidariedade à greve dos Correios, que tivesse chamado o voto no PT – incomode a quem incomodar.O PT está elaborando um plano de Reconstrução do Brasil. Gostaria que desse plano fossem destacadas as medidas de emergência, numa plataforma que permita o povo se centralizar, que encoste o governo na parede e alavanque a luta pelo fim desse governo. Medidas como o congelamento de preços, exigência de testagem em massa, extensão do auxilio emergencial enquanto durar a pandemia, garantia de emprego, ampliação dos serviços públicos. Medidas que permitissem que identificasse o PT como uma alternativa. A fórmula que o PT esta usando na pré-campanha é ‘Quem defende você é o PT‘. Ninguém mais tem a força e a capacidade do PT em eleger-se num segundo turno e ter base social de apoio para executar um programa de atendimento às demandas. Ter a coragem de sustentar a recuperação plena dos direitos plenos do companheiro Lula, um passo para abrir uma saída política para este país.”

  • Veja abaixo vídeo do Sokol: 

https://www.dropbox.com/s/v7wg37i5c8s3f1t/Esquenta%202.mp4?dl=0

A convenção

Transmitido diretamente de uma laje do Jardim São Luis, no Campo Limpo, região sul da capital, com Jilmar e Haddad e falas da presidente Gleisi Hoffmann e de Lula. Também discursaram vereadores, deputados estaduais e federais em apoio a Jilmar Tatto. A sala virtual do Zoom lotou com mais de 900 petistas e mais de 5000 pessoas acompanharam através das redes.

Lula em seu discurso nacionalizou as eleições 2020, dizendo “a partir de São Paulo e de cada cidade deste país, vamos juntos reconstruir o país”

Jilmar Tatto

Candidato a prefeito homologado, Jilmar Tatto se dirigiu à militância e focou sua intervenção nas questões da cidade, nas propostas do PT de defesa dos serviços públicos, de tarifa zero no transporte, (inicialmente para desempregados e estudantes), na revisão dos contratos da prefeitura – o programa do PT prevê a reversão das Organizações Sociais – e fazer o ricos pagarem mais impostos como ISS e IPTU.

Bárbara Corrales

Um comentário em “Esquenta do DAP e a convenção da capital paulista

  • 18 de setembro de 2020 em 11:29
    Permalink

    Markus Sokol , como sempre , lúcido , corrente e claro em relação as prioridades do momento para avançarmos em nossas lutas.
    Concordo plenamente com tudo o que ele disse

    Resposta

Gostou? Comente sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: