O povo grita nas ruas: ninguém aguenta mais, fora!

Manifestações para exigir o fim do governo Bolsonaro ocorreram neste dia 2 de outubro em todo o país e no exterior. Foi a sexta jornada nacional de mobilização, um movimento que vem desde maio e que promete continuar.

Segundo balanço da Campanha Fora Bolsonaro, houve atos em 304 cidades do Brasil e em 18 países. Os atos no Brasil reuniram cerca de 700 mil manifestantes.

Cresceu neste 2 de outubro a participação organizada de sindicatos e partidos, embora ainda longe do que se poderia esperar.

A degradação das condições de vida da população é, cada vez mais, o motor das manifestações. Nos atos deste sábado, um dos destaques foi o gás de cozinha (o botijão chega em algumas cidades a custar R$ 140,00!). Junto com os aumentos dos alimentos básicos e das tarifas de energia elétrica, com o desemprego e a fome. Bolsonaro não é apenas o genocida responsável pelas 600 mil mortes da pandemia, é também o promotor da miséria, o exterminador do futuro do país e de seu povo.

As colunas do DAP voltaram a marcar presença, nas capitais e em muitas cidades do interior. O DAP mantém sua trajetória de ajudar o movimento “fora Bolsonaro” a avançar, mantendo as manifestações de rua. Foi assim em Florianópolis: diante da proposta de adiamento, os militantes do DAP não vacilaram e garantiram a realização do ato.

Em São Paulo

Na manifestação da Avenida Paulista, em São Paulo, uma barraquinha do DAP fazia filiações ao PT e vendia bebidas para ajudar na sustentação financeira das atividades. Agindo como o PT agia.

Embora oradores, em várias manifestações, tenham defendido o impeachment como saída política para a crise, a tônica geral dos atos foi a exigência de fim imediato deste governo. De fato, ninguém aguenta mais.

Em novembro, tem mais uma rodada de manifestações. E o DAP estará presente com suas faixas, seus pirulitos, panfletos, som, palavras de ordem e, principalmente, sua firmeza e suas perspectivas.

user

Diálogo e Ação Petista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: