Bahia: Reafirmar a candidatura do PT para disputar a eleição

Após a reunião da Executiva Estadual do PT baiano neste dia 28, onde Jaques Wagner informou sua decisão de não ser mais candidato, o Comitê Estadual Baiano do DAP se reuniu e tirou a declaração abaixo, relatando a situação e conclamando aos diretórios, parlamentares, e militantes a reafirmarem a candidatura própria do PT para a disputa do governo estadual contra o clã de ACM Neto. Leia abaixo a declaração.


logo do DAP

Não abrimos mão: Candidatura do PT para disputar a eleição

A Executiva Estadual do PT Bahia se reuniu hoje com o senador Jaques Wagner que informou sua decisão de não ser mais candidato do PT ao governo do Estado. Após um longo debate, no entanto, não foi adotada nenhuma resolução, o que é ruim, pois a confusão prossegue. Mesmo com muitos oradores de basicamente todas as forças terem defendido a candidatura própria, só o membro do DAP sustentou a proposição até o fim como resolução. Sem qualquer conclusão de instância, a militância segue num misto de aflição e indignação mais que justas.

Lamentamos a decisão de Wagner. Sua candidatura foi aprovada no Congresso do PT BA em 2019, reafirmada em resoluções e é uma unanimidade no partido e aliados como PCdoB e PSB baiano. As pesquisas indicam o crescimento de Wagner governador quando associado a Lula presidente. Porém, frente a este cenário novo no qual ele abdicou, consideramos que é preciso construir outro nome do PT com disposição para assumir essa tarefa. O próprio Wagner na reunião disse que se esta for à decisão do partido, ele estará na linha de frente da campanha. Da nossa parte, e acreditamos que de milhares de petistas, trabalhadores e jovens, o time deve continuar jogando de cabeça erguida e para vencer o jogo.

A candidatura do PT representa a vontade de parte significativa do povo oprimido que quer comer, ter empregos e salários dignos, escolas e universidades abertas e o fim da violência contra o povo negro. É a candidatura aonde o programa cabe perfeitamente a defesa das empresas públicas como a Embasa, portanto contra sua privatização, e a preservação dos serviços públicos enterrando a ameaça da PEC 32 da Reforma Administrativa. É a única candidatura com força capaz de liderar a luta para derrotar ACM Neto (Dem) e Bolsonaro e para ampliar a bancada de deputados estaduais e federais do PT. É a esperança para reconstruir e transformar o Brasil com Lula presidente para realizar mudanças profundas como a revogação da reforma trabalhista e da previdência, privatizações e a EC 95, e a realização de reformas como do judiciário, da mídia e militar que precisam da convocação de uma Assembleia Constituinte Soberana.

Porque abriríamos mão da candidatura do PT ao governo do estado? Não tem justificativa. Alguns dizem que seria um gesto dirigido ao PSD e, também ao PP, para apoiar Lula, mas nada está garantido. Isso porque, esses partidos operam a lógica do centrão que compõem qualquer governo que esteja no poder, sem distinção. Tentam se equilibrar entre interesses oligárquicos regionais e o apoio às pautas nacionais do governo genocida de Bolsonaro. Foi assim que fizeram os partidos e Otto Alencar e João Leão no Congresso. Não se preocupam com a vida do povo e dos trabalhadores que só tem piorado nesta crise. A candidatura do PT ao governo do estado deve ter alianças, sim, composta por uma frente anti-imperialista com o PCdoB, PSOL e setores do PSB e outros partidos comprometidos com um programa político com esse caráter.

A candidatura do PT ao governo estadual é uma necessidade e também uma vontade coletiva. Muitos diretórios e também parlamentares se posicionaram em defesa da candidatura própria. A militância do partido quer este caminho e não vai aceitar mais uma vez decisões de cúpulas em reuniões fechadas

É hora de reagir, sem medo de ser feliz.

Conclamamos os diretórios municipais, parlamentares, dirigentes sindicais, estudantis, de bairros e comunidades, do movimento negro, dos movimentos do campo e da cidade, e à guerreira militância do partido a reafirmar em uma só voz: não abrimos mão, candidatura do PT para disputar a eleição.

Junte-se a nós neste combate!

28 de fevereiro de 2022

Comitê Estadual do Diálogo e Ação Petista da Bahia

user

Diálogo e Ação Petista

4 thoughts on “Bahia: Reafirmar a candidatura do PT para disputar a eleição

  • 1 de março de 2022 em 19:34
    Permalink

    Queremos candidatura do PT a governador já. Não podemos arregar.

    Resposta
  • 3 de março de 2022 em 00:55
    Permalink

    Nós que somos eleitores do partido dos trabalhadores o PT temos que ter candidatos próprios pra concorrer o governo da Bahia não abrimos mão

    Resposta
    • 3 de março de 2022 em 11:59
      Permalink

      Sou de MG, mas vou dar minha opinião. Acho que o PT tá arregando muito para o PSD, o tal do Kassab virou uma prostituta da política do quem da mais! É óbvio que o PP e PSD da Bahia sempre foram parceiros, mas são do Centrão né? Aqueles que topa tudo por dinheiro. Acho o Oto Alencar um homem sério, mas acho tb que os baianos tem todo direito de reinvindicar a continuidade do PT, há menos que o Wagner esteja com medo de enfrentar o nanico ACM.

      Resposta
      • 3 de março de 2022 em 12:05
        Permalink

        Em tempo: Acho ainda que com essa atitude o PT, tá deixando de lado outros aliados históricos na Bahia como PSB e PCdoB.
        OBS: Sou militante do PT desde 1982 e filiado desde 1989.

        Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: