9 de abril: militantes de diversas origens pedem seu voto…

…pela unidade na reconstrução do partido

Petistas de todo o país elegem, neste dia 9 de abril, os diretórios municipais e as chapas de delegados aos encontros estaduais, num momento em que, mais do que nunca, é necessário defender o partido como instrumento indispensável de organização e luta da classe trabalhadora.

As chapas de Unidade pela Reconstrução do PT, formadas em muitos estados e municípios, expressam essa necessidade. Somos militantes de diferentes identidades e trajetórias. Apresentamos nossas propostas ao conjunto dos militantes.

É necessário fazer um balanço da atu­ação do PT e dos 13 anos de governos que encabeçamos. O afastamento de uma presidente legitimamente eleita e a derrota nas eleições municipais foram, sem dúvida, resultados de uma ofensiva da classe dominante e do imperialismo contra os trabalhadores. Porém, não é possível esquecer os erros cometidos pelo partido.

Nossos governos erraram ao não encaminhar as reformas necessárias, particularmente a reforma política. Fica­mos presos a alianças com partidos que, quando lhes foi conveniente, marcharam em direção ao golpe. O PT ficou subordi­nado à lógica da “governabilidade”.

Num momento em que o usurpador Temer e os golpistas aplicam as medidas mais ferozes contra os trabalhadores e a Nação, é necessário armar o PT:

  • Fora Temer, nenhum direito a menos! Nesse combate, nos engajamos com a CUT, centrais e sindicatos na preparação da greve geral.

  • Chega de conciliação! O PT nasceu como partido independente dos traba­lhadores e não pode conciliar com os inimigos da classe.

  • Não participar de governo com golpistas! Nas prefeituras e governos estaduais, essa convivência serve exclu­sivamente aos golpistas.

  • Constituinte pelas reformas popula­res! Com essas instituições não dá, só uma Constituinte para fazer as reformas populares.

  • Fim do PED, volta dos encontros de base deliberativos- a base deve ter meios de influir decisivamente nos rumos do partido

 Com a palavra quem luta pela Reconstrução:

 “O PT é o principal instrumento político de defesa dos trabalhadores. É o partido que tem a capacidade de nos unificar para fazer os enfrentamentos ao capital, em direção à emancipação da classe trabalhadora.

Para isso é preciso voltar o olhar e a ação do PT para a sua base social (trabalhadores, os sindicatos e os movimentos). É isso que dá sentido ao Partido. ”

Edmilson Oliveira, diretor do Sindicato dos Trabalhadores dos Calçados- SINTRACAL, de Vitória da Conquista (BA)

edmilson oliveira

 “Após um período afastado da vida do partido, o momento político, social e econômico nos impõe voltar à luta de maneira organizada, para nos somarmos ao partido que fundamos, aos movimentos sociais e, em especial, aos movimentos sindicais, coordenados pela CUT.

O caos está dominando nosso país, fruto dos crimes que estão sendo cometidos pelos golpistas contra o povo, as instituições e a democracia. E isso acontece nos três níveis de governo e com forte ingerência dos imperialistas dos EUA, da mídia (intriguista e entreguista) que não aceitam o Brasil prosperando, com distribuição de renda, com o Pré-sal, soberania e relações com todo o mundo.

Nesse momento, convidamos todos para, no dia 9 de abril, irem votar, trazendo mais companheiros (as) na Chapa Unidade pela Reconstrução do PT- 410, à qual nosso Coletivo Carneiro Cruz está se somando nesse momento do Congresso do PT.”

Clóvis Ilgenfritz da Silva, arquiteto e fundador do PT (RS)

rs1-802

É necessário que o PT volte a encantar os trabalhadores, a juventude, os intelectuais. Não negamos os avanços dos governos Lula e Dilma, mas o PT paga um alto preço por não ter mantido sua independência diante do governo. Entramos no estado sem criticar o estado e sem priorizar as reformas.

O PT precisa voltar a debater e a interpretar a realidade. Desde 2013, muita coisa mudou no Brasil e o partido não entendeu. Precisamos mais do que nunca afirmar a utopia, a perspectiva socialista, o que signi­fica escolher melhor nossos aliados, mudar a política de alianças. É isso que propõe a chapa Por um Partido de Todos-410. ”

Angelo Vanhoni, ex-deputado federal do PT (PR)

Angelo Vanhoni

No Paraná a chapa de delegados aos encontros estaduais, Partido de Todos, é composta por um setor da Construindo um Novo Brasil com os militantes da Unidade Pela Reconstrução do PT.


Artigo da página do “Diálogo e Ação Petista – DAP” – Encarte do Jornal O Trabalho de 6 de abril de 2017.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s